27
Set 08

 

 
 
Aqui, Neera, longe
 
De homens e de cidades,
 
Por ninguém nos tolher
 
O passo, nem vedarem
 
A nossa vista as casas,
 
Podemos crer-nos livres.
 
Bem sei, é flava, que inda
 
Nos tolhe a vida o corpo,
 
E não temos a mão
 
Onde temos a alma;
 
Bem sei que mesmo aqui
 
Se nos gasta esta carne
 
Que os deuses concederam
 
Ao estado antes de Averno.
 
Mas aqui não nos prendem
 
Mais coisas do que a vida,
 
Mãos alheias não tomam
 
Do nosso braço, ou passos
 
Humanos se atravessam
 
Pelo nosso caminho.
 
Não nos sentimos presos
 
Senão com pensarmos nisso,
 
Por isso não pensemos
 
E deixemo-nos crer
 
Na inteira liberdade
 
Que é a ilusão que agora
 
Nos torna iguais dos deuses.
 
 
Ricardo Reis

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26

28
29
30


subscrever feeds
gaveta a sete chaves :D
Procurar :D
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO